Miguel o Arcanjo CHAOS COMICS . . .

Michael Chaos Comics 1

Pela Editora ele é chamado de Michael ( que do hebraico é Mikhael = Idêntico à DEUS), ele é o MAIOR dos ARCanjos (Anjos Guerreiros) e um dos Príncipes, nesta História ele luta pela causa dos Céus.

Michael Chaos Comics 2

Aparece também a figura de DEUS questionando uma pessoa chamada Lady Death, uma deusa poderosa que se apresenta como uma anti-heroína.

michael lady death chaos comics

Miguel é apaixonado por ela e esta disposto a ama-lá independente das futuras conseqüências na Criação.

michael xmen chaos comics

Em um certo período Miguel apareceu entre os filhos de Deus no Éden Vegetal como um X-Men (Um “Homem” que tem uma genética desconhecida para transferir para seus futuros filhos) com o objetivo que ele se tornassem Anjos Heróis.

Michael Demiurgos DCVertigo

Pela #DC/Vertigo ele aparece com uma outra História:

Quando o Deus da Aliança iniciou a Sua criação do Universo, formou dois seres poderosos para cumprir os seus desejos: um foi o arcanjo Miguel, que recebeu o demiúrgico (tendo “uma força criativa autônoma ou poder decisivo” [1] ) poder para habilitar a criação física do cosmos para ocorrer (momento do Big Bang). O outro foi o arcanjo Samael (Lucifer) que infundiu essa criação com energia e vida (às vezes chamado Sunmaker, ou Lightbringer). Michael e Samael são ditos ser gêmeos e os primeiros seres criados por Deus (embora muitas vezes implique que Samael é o irmão mais velho). O nome de Deus está escrito em cada átomo da criação pelo poder de Michael e a vontade de Samael: isso forma uma parte central da série mais tarde.

Quando o Arcanjo Lucifer Morningstar começou a sua revolta no Céu, ele estava irremediavelmente superado em número. Ele finalmente foi derrotado por seu irmão, o Arcanjo Miguel, que usou o Demiurgos (o poder de Deus) para destruir suas forças angélicas. No entanto, durante as consequências do ataque, um anjo caído chamado Sandalphon empurrou sua lança para as costas de Michael e o levou cativo a uma realidade de bolso. Ali, Michael estava acorrentado a um pilar muito grande (sua forma física no momento era muito grande), enquanto Sandalphon tentava criar uma nova geração de anjos guerreiros. Todos os anjos são estéril e, portanto, seus números não são facilmente repovoados. Usando o demiurgo de Michael para impregnar as mulheres humanas e, depois, gerar os fetos dentro do próprio Michael, ele produziu milhares de falhas antes de criar Elaine Belloc com seus 300 óvulos viáveis. Assim como ele tentou reivindicar Elaine, no entanto, Lucifer entrou.

Derrotando facilmente o anjo covarde e caído Sandalphon, Lucifer levou Michael – que nunca animou animosidade em relação a seu irmão – e o usou como um meio para acabar com o assalto em andamento do Host Celestial contra sua casa. Lucifer tinha obtido uma Carta de Passagem fora da Criação devido a um arranjo anterior com o Céu. A porta subsequente tinha sido destinada a ser unidirecional e uma única vez, mas Lucifer a abriu com YHWH , o próprio nome de Deus. Para destruir a porta seria desarmar a Criação.

Incapaz de permitir isso, o anfitrião celestial tinha sitiado a casa de Lúcifer em sua ausência. Chegando com Michael, o anfitrião foi instantaneamente derrotado: se Lúcifer matasse Michael, o poder Demiurgico lavaria a Criação, limpando-a de toda a vida. O anfitrião recuou. Michael, no entanto, permaneceu sofrendo e aguardando a morte prometida por seu irmão Lucifer. O Michael machucado foi levado pelo portão de Lúcifer para o Nihilo (nada), onde Lúcifer empurrou uma espada para dentro dele e liberou o poder demiúrgico dentro de Michael, criando seu próprio cosmos. Tendo adquirido o poder Demiurgico sobre o novo Cosmos, Lucifer reconstituiu o arcanjo Miguel após o evento, mas Michael recusou a oferta de Lúcifer para ficar ao seu lado. Este é um tema em todo o quadrinhos, pois o arcanjo Miguel sempre oferece uma forma de parceria com seu irmão Lucifer, mas muitas vezes se recusa.

Michael é visto como paciente e gentil, mas não com alguém que vai ficar de pé e assistir injustiça e maldade. Inicialmente, ele é teimoso ao seguir a vontade de Deus, mas depois começa a ter dúvidas (exacerbadas pelas revelações enigmáticas de seu irmão Lucifer de tempos em tempos). Tendo sido ejetado do céu por questionar a sabedoria de Deus para ordenar a morte de sua filha, Elaine Belloc, ele viaja sozinho ou com o Querub Gaudium.

A filha meio humana / anjo de Michael, Elaine Belloc, desempenha um papel mais proeminente na continuação da série Lucifer . Inicialmente guardado em seus sentimentos por ela, Michael começa a sentir carinho e amor genuínos, o que é agravado quando Lúcifer, depois de ter sido ferido fatalmente pelos Basanos, é regenerado pela morte / sacrifício de Elaine.

Os eventos tomam uma volta muito séria após o problema 50 quando Fenris, o lobo, tenta destruir o World Tree Yggdrasil e perturbar o equilíbrio de toda a Criação. Tendo ferido muito mal em sua luta contra o Arcanjo Lucifer (agindo contra sua própria vontade), Michael diz ao agora resgatado Elaine que ele a ama e deseja que ele a conhecesse melhor, dizendo que ela deve ser detentora do poder Demiurgos antes que ele possa ser morto.

Michael é um dos dois únicos anjos que Lucifer tem respeito (o outro sendo Duma ) e é visto como o outro lado da moeda para Lucifer. O próprio Morningstar diz que cada um tem o que o outro não tem. Ele é alto com cabelos loiros muito longos e tem duas asas brancas, e ele é muito poderoso quando se moveu para a ira. Ao contrário de Lúcifer, ele não usará criaturas como peões em algum tabuleiro de xadrez e, portanto, tem a humanidade que Lucifer às vezes parece não ter.

Na morte deles, os dois irmãos compartilham o perdão e ele passa. Michael não estava perto de sua filha e um de seus últimos atos é lamentar não ter estado lá por ela. Após sua morte, Elaine é capaz de absorver o poder e é colocado por Yahweh no caminho para se tornar o novo governante da criação.

O poder de Michael é conhecido por apenas ser acompanhado por seu irmão Lucifer e superado apenas por Deus. Seu maior poder é o poder Demiurgico que permite a criação do nada que está contido nele. Empregando-o, Michael conseguiu derrotar seu irmão Lucifer e expulsá-lo do céu após sua rebelião. A única limitação desse poder é que Michael não tem a capacidade de dar a forma de poder, impedindo-o de criar. Ele precisa do poder de seu irmão, o Arcanjo Lucifer para fazer isso.

Como todos os Archangels, Michael é imortal e possui super-força, super velocidade, invulnerabilidade, choro sonoro, vôo, sangue ácido, telepatia e poder para falar com animais.

arcangel michael comic original

Aqui esta a primeira aparição de Miguel em um COMIC.

Pela Bíblia ele há de Ressuscitar os mortos e julgar o MUNDO no Ultimo Dia (Fim do Tempo) referido em Daniel 12.

 

Anúncios
Miguel o Arcanjo CHAOS COMICS . . .

Noé image COMICS

noah image comics

Ou Noah (Noak) foi o décimo (10 ª) na Genealogia de Adão (Seth) que começou sua História de Gênesis 5 até 10, ele foi Neto do homem mais vivido na Terra, Matusalém.

Ele foi o primeiro humano a receber a Graça de Deus e como presente construiu uma Arca (Barco) para continuar com sua espécie e dos animais no Novo Éden; neste exemplar (Issue) ele enfrenta Gigantes em combate para proteger sua família e é claro com a ajuda de Anjos (filhos de Deus).

Depois destes eventos o planeta todo descansou como se fosse um tipo de Milênio.

Noé image COMICS

Ezequiel 37 o Vale de ossos secos

o-vale-de-ossos-secos

Nesta incrível visão profética de Ezequiel ele vê o futuro, o que esta para vir.

Trata-se de vários israelitas espalhados nas nações por causa das diásporas e outros que serviam o exército de Israel que estavam mortos e ressuscitaram para guerrearem na Guerra de Gogue e Magogue, nesta profecia o rei Davi também ressuscita para ser o príncipe.

Será uma épica batalha entre o exército de Deus contra povos russos.

Ezequiel 37 e 38.

 

Ezequiel 37 o Vale de ossos secos

O Cavaleiro no cavalo branco

apocalipse-19

Antes de tudo deve-se entender e lembrar, o Cavaleiro de Apocalipse 19 não é o mesmo cavaleiro de Apocalipse 6 onde se trata dos sete selos e os quatro cavaleiros, o primeiro cavaleiro recebe um arco e uma coroa, a ele foi dado o poder de lutar, vencer e reinar, ele também não é o anti-cristo, porém, ele vai reinar até a chegada do anti-cristo.

Em Apocalipse 19 aparece o céu aberto e Jesus vindo como Rei dos reis e Senhor dos senhores em um cavalo celestial, Ele veste uma capa vermelha mostrando-se um Grande Herói, Ele vêm com vários seres celestes para a batalha contra o anti-cristo e o falso profeta em meio aos seus exércitos; há uma crença em que se diz que Jesus não voltou ainda porque Ele esta a conquistar as Diademas (Jóias Preciosas) de Sua coroa em outros lugares (mundos), e quando a Sua coroa estiver com todas as Diademas irá se cumprir este trecho Bíblico.

11 Vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. O seu Cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça.
12 Os seus olhos são chama de fogo; na sua cabeça, há muitos diademas; tem um nome escrito que ninguém conhece, senão ele mesmo.
13 Está vestido com um manto tinto de sangue, e o seu nome se chama o Verbo de Deus;
14 e seguiam-no os exércitos que há no céu, montando cavalos brancos, com vestiduras de linho finíssimo, branco e puro.
15 Sai da sua boca uma espada afiada, para com ela ferir as nações; e ele mesmo as regerá com cetro de ferro e, pessoalmente, pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso.
16 Tem no seu manto e na sua coxa um nome inscrito: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES.
17 Então, vi um anjo posto em pé no sol, e clamou com grande voz, falando a todas as aves que voam pelo meio do céu: Vinde, reuni-vos para a grande ceia de Deus,
18 para que comais carnes de reis, carnes de comandantes, carnes de poderosos, carnes de cavalos e seus cavaleiros, carnes de todos, quer livres, quer escravos, tanto pequenos como grandes.
19 E vi a besta e os reis da terra, com os seus exércitos, congregados para pelejarem contra aquele que estava montado no cavalo e contra o seu exército.
20 Mas a besta foi aprisionada, e com ela o falso profeta que, com os sinais feitos diante dela, seduziu aqueles que receberam a marca da besta e eram os adoradores da sua imagem. Os dois foram lançados vivos dentro do lago de fogo que arde com enxofre.
21 Os restantes foram mortos com a espada que saía da boca daquele que estava montado no cavalo. E todas as aves se fartaram das suas carnes.
Enoque em seu Livro relatado na Carta de Judas diz:
14 Quanto a estes foi que também profetizou Enoque, o sétimo depois de Adão, dizendo: Eis que vem o Senhor entre suas *santas miríades,
*santas, santos = kadoshim da palavra kadosh

 

O Cavaleiro no cavalo branco

A estatua de Nabucodonosor

estatua de nabucodonosor

O Império Romano Restaurado pode ser também toda a Europa ou a atual Zona do Euro. Quando se fala de Império neste quadro se fala de absoluto poder  “Mundial”, neste caso os Estados Unidos perderia sua força.

Esta estatua pode ser a aparência de um deus ou o deus (deuses) destes povos (impérios); esta estatua pode ser diferente da estatua feita por Nabucodonosor descrita em Daniel 3.

A estatua de Nabucodonosor

En Sabah Nur e os cavaleiros de Apocalipse

en sabah nur knights apocalypse

Este é uma síntese do que aconteceu nos dias de Yossef Mehav Mizraim (José o governador do Egito).

A três (3) mil anos a.C (antes de Cristo) no Egito nasceu o mutante En Sabah Nur, este em um decorrido tempo fez aliança com quatro (4) cavaleiros (deuses), antes de José se tornar governador ele decifrou um sonho para o grande Faraó que se tratava de julgamento dos deuses nesta terra. Os deuses Zafenate, PanéiaOm estavam em guerra com os quatro (4) cavaleiros que se nomearam cavaleiros de Apocalipse (cavaleiros de En Sabah Nur), esta guerra levava a disputa pela terra (planeta Terra), a princípio depois dos sete (7) anos de fartura vieram sete (7) vacas magras e sete (7) espigas devoradoras de alimentos por sete (7) anos, pois a base da economia e gastronomia egípcia era a base do milho.

Isto terminou depois da intervenção dos deuses citados onde o Egito supriu alimento para toda a terra e José se tornou o governador deste grande império.

Apocalipse e seus cavaleiros apareceu novamente no cenário da história da humanidade no ano 598 até o ano 528 a.C (período de setenta 70 anos de cativeiro de Israel na Babilônia) trazendo mortandade em toda a terra, e de acordo com o livro das Revelações dado a João (Yohanan) o Apóstolo eles apareceram outra vez.


Gênesis – Capítulo 41

1 Passados dois anos completos, Faraó teve um sonho. Parecia-lhe achar-se ele de pé junto ao Nilo.
2 Do rio subiam sete vacas formosas à vista e gordas e pastavam no carriçal.
3 Após elas subiam do rio outras sete vacas, feias à vista e magras; e pararam junto às primeiras, na margem do rio.
4 As vacas feias à vista e magras comiam as sete formosas à vista e gordas. Então, acordou Faraó.
5 Tornando a dormir, sonhou outra vez. De uma só haste saíam sete espigas cheias e boas.
6 E após elas nasciam sete espigas mirradas, crestadas do vento oriental.
7 As espigas mirradas devoravam as sete espigas grandes e cheias. Então, acordou Faraó. Fora isto um sonho.
8 De manhã, achando-se ele de espírito perturbado, mandou chamar todos os magos do Egito e todos os seus sábios e lhes contou os sonhos; mas ninguém havia que lhos interpretasse.
9 Então, disse a Faraó o copeiro-chefe: Lembro-me hoje das minhas ofensas.
10 Estando Faraó mui indignado contra os seus servos e pondo-me sob prisão na casa do comandante da guarda, a mim e ao padeiro-chefe,
11 tivemos um sonho na mesma noite, eu e ele; sonhamos, e cada sonho com a sua própria significação.
12 Achava-se conosco um jovem hebreu, servo do comandante da guarda; contamos-lhe os nossos sonhos, e ele no-los interpretou, a cada um segundo o seu sonho.
13 E como nos interpretou, assim mesmo se deu: eu fui restituído ao meu cargo, o outro foi enforcado.
14 Então, Faraó mandou chamar a José, e o fizeram sair à pressa da masmorra; ele se barbeou, mudou de roupa e foi apresentar-se a Faraó.
15 Este lhe disse: Tive um sonho, e não há quem o interprete. Ouvi dizer, porém, a teu respeito que, quando ouves um sonho, podes interpretá-lo.
16 Respondeu-lhe José: Não está isso em mim; mas Deus dará resposta favorável a Faraó.
17 Então, contou Faraó a José: No meu sonho, estava eu de pé na margem do Nilo,
18 e eis que subiam dele sete vacas gordas e formosas à vista e pastavam no carriçal.
19 Após estas subiam outras vacas, fracas, mui feias à vista e magras; nunca vi outras assim disformes, em toda a terra do Egito.
20 E as vacas magras e ruins comiam as primeiras sete gordas;
21 e, depois de as terem engolido, não davam aparência de as terem devorado, pois o seu aspecto continuava ruim como no princípio. Então, acordei.
22 Depois, vi, em meu sonho, que sete espigas saíam da mesma haste, cheias e boas;
23 após elas nasceram sete espigas secas, mirradas e crestadas do vento oriental.
24 As sete espigas mirradas devoravam as sete espigas boas. Contei-o aos magos, mas ninguém houve que mo interpretasse.
25 Então, lhe respondeu José: O sonho de Faraó é apenas um; os deuses manifestou a Faraó o que há de fazer.
26 As sete vacas boas serão sete anos; as sete espigas boas, também sete anos; o sonho é um só.
27 As sete vacas magras e feias, que subiam após as primeiras, serão sete anos, bem como as sete espigas mirradas e crestadas do vento oriental serão sete anos de fome.
28 Esta é a palavra, como acabo de dizer a Faraó, que os deuses manifestou a Faraó que ele há de fazer.
29 Eis aí vêm sete anos de grande abundância por toda a terra do Egito.
30 Seguir-se-ão sete anos de fome, e toda aquela abundância será esquecida na terra do Egito, e a fome consumirá a terra;
31 e não será lembrada a abundância na terra, em vista da fome que seguirá, porque será gravíssima.
32 O sonho de Faraó foi dúplice, porque a coisa é estabelecida pelos deuses, e os deuses se apressam a fazê-la.
33 Agora, pois, escolha Faraó um homem ajuizado e sábio e o ponha sobre a terra do Egito.
34 Faça isso Faraó, e ponha administradores sobre a terra, e tome a quinta parte dos frutos da terra do Egito nos sete anos de fartura.
35 Ajuntem os administradores toda a colheita dos bons anos que virão, recolham cereal debaixo do poder de Faraó, para mantimento nas cidades, e o guardem.
36 Assim, o mantimento será para abastecer a terra nos sete anos da fome que haverá no Egito; para que a terra não pereça de fome.
37 O conselho foi agradável a Faraó e a todos os seus oficiais.
38 Disse Faraó aos seus oficiais: Acharíamos, porventura, homem como este, em quem há o Espírito de Deus?
39 Depois, disse Faraó a José: Visto que Deus te fez saber tudo isto, ninguém há tão ajuizado e sábio como tu.
40 Administrarás a minha casa, e à tua palavra obedecerá todo o meu povo; somente no trono eu serei maior do que tu.
41 Disse mais Faraó a José: Vês que te faço autoridade sobre toda a terra do Egito.
42 Então, tirou Faraó o seu anel de sinete da mão e o pôs na mão de José, fê-lo vestir roupas de linho fino e lhe pôs ao pescoço um colar de ouro.
43 E fê-lo subir ao seu segundo carro, e clamavam diante dele: Inclinai-vos! Desse modo, o constituiu sobre toda a terra do Egito.
44 Disse ainda Faraó a José: Eu sou Faraó, contudo sem a tua ordem ninguém levantará mão ou pé em toda a terra do Egito.
45 E a José chamou Faraó de Zafenate-Panéia e lhe deu por mulher a Asenate, filha de Potífera, sacerdote de Om; e percorreu José toda a terra do Egito.
46 Era José da idade de trinta anos (30) anos quando se apresentou a Faraó, rei do Egito, e andou por toda a terra do Egito.
47 Nos sete anos de fartura a terra produziu abundantemente.
48 E ajuntou José todo o mantimento que houve na terra do Egito durante os sete anos e o guardou nas cidades; o mantimento do campo ao redor de cada cidade foi guardado na mesma cidade.
49 Assim, ajuntou José muitíssimo cereal, como a areia do mar, até perder a conta, porque ia além das medidas.
50 Antes de chegar a fome, nasceram dois filhos a José, os quais lhe deu Asenate, filha de Potífera, sacerdote de Om.
51 José ao primogênito chamou de Manassés, pois disse: Deus me fez esquecer de todos os meus trabalhos e de toda a casa de meu pai.
52 Ao segundo, chamou-lhe Efraim, pois disse: Deus me fez próspero na terra da minha aflição.
53 Passados os sete anos de abundância, que houve na terra do Egito,
54 começaram a vir os sete anos de fome, como José havia predito; e havia fome em todas as terras, mas em toda a terra do Egito havia pão.
55 Sentindo toda a terra do Egito a fome, clamou o povo a Faraó por pão; e Faraó dizia a todos os egípcios: Ide a José; o que ele vos disser fazei.
56 Havendo, pois, fome sobre toda a terra, abriu José todos os celeiros e vendia aos egípcios; porque a fome prevaleceu na terra do Egito.
57 E todas as terras vinham ao Egito, para comprar de José, porque a fome prevaleceu em todo o mundo.
Zacarias – Capítulo 1
7 No vigésimo quarto dia do mês undécimo, que é o mês de sebate, no segundo ano de Dario, veio a palavra do SENHOR ao profeta Zacarias, filho de Baraquias, filho de Ido.
8 Tive de noite uma visão, e eis um homem montado num cavalo vermelho; estava parado entre as murteiras que havia num vale profundo; atrás dele se achavam cavalos vermelhos, baios e brancos e seus cavaleiros.
9 Então, perguntei: meu senhor, quem são estes? Respondeu-me o anjo que falava comigo: Eu te mostrarei quem são eles.
10 Então, respondeu o homem que estava entre as murteiras e disse: São os que foram enviados para percorrerem a terra.
11 Eles responderam ao anjo do SENHOR e disseram: Nós já percorremos a terra, e eis que toda a terra está, agora, repousada e tranqüila.
12 Então, o anjo do SENHOR respondeu: Ó SENHOR dos Exércitos, até quando não terás compaixão de Jerusalém e das cidades de Judá, contra as quais estás indignado faz já setenta anos?
13 Respondeu o SENHOR com palavras boas, palavras consoladoras, ao anjo que falava comigo.
14 E este me disse: Clama: Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Com grande empenho, estou zelando por Jerusalém e por Sião.
15 E, com grande indignação, estou irado contra as nações que vivem confiantes; porque eu estava um pouco indignado, e elas agravaram o mal.
16 Portanto, assim diz o SENHOR: Voltei-me para Jerusalém com misericórdia; a minha casa nela será edificada, diz o SENHOR dos Exércitos, e o cordel será estendido sobre Jerusalém.
17 Clama outra vez, dizendo: Assim diz o SENHOR dos Exércitos: As minhas cidades ainda transbordarão de bens; o SENHOR ainda consolará a Sião e ainda escolherá a Jerusalém.
Apocalipse – Capítulo 6
1 Vi quando o Cordeiro abriu um dos sete selos e ouvi um dos quatro seres viventes dizendo, como se fosse voz de trovão: Vem!
2 Vi, então, e eis um cavalo branco e o seu cavaleiro com um arco; e foi-lhe dada uma coroa; e ele saiu vencendo e para vencer.
3 Quando abriu o segundo selo, ouvi o segundo ser vivente dizendo: Vem!
4 E saiu outro cavalo, vermelho; e ao seu cavaleiro, foi-lhe dado tirar a paz da terra para que os homens se matassem uns aos outros; também lhe foi dada uma grande espada.
5 Quando abriu o terceiro selo, ouvi o terceiro ser vivente dizendo: Vem! Então, vi, e eis um cavalo preto e o seu cavaleiro com uma balança na mão.
6 E ouvi uma como que voz no meio dos quatro seres viventes dizendo: Uma medida de trigo por um denário; três medidas de cevada por um denário; e não danifiques o azeite e o vinho.
7 Quando o Cordeiro abriu o quarto selo, ouvi a voz do quarto ser vivente dizendo: Vem!
8 E olhei, e eis um cavalo amarelo e o seu cavaleiro, sendo este chamado de Morte; e o Inferno o estava seguindo, e foi-lhes dada autoridade sobre a quarta parte da terra para matar à espada, pela fome, com a mortandade e por meio das feras da terra.
9 Quando ele abriu o quinto selo, vi, debaixo do altar, as almas daqueles que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho que sustentavam.
10 Clamaram em grande voz, dizendo: Até quando, ó Soberano Senhor, santo e verdadeiro, não julgas, nem vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra?
11 Então, a cada um deles foi dada uma vestidura branca, e lhes disseram que repousassem ainda por pouco tempo, até que também se completasse o número dos seus conservos e seus irmãos que iam ser mortos como igualmente eles foram.
En Sabah Nur e os cavaleiros de Apocalipse